Artur Bual
NOTAS CRÍTICAS  

SOBRE MOITA MACEDO
É inteiramente justo e urgente realçar a importância da obra de Moita Macedo - Artista de rara sensibilidade, que, nos anos 70 e 80 mergulhou dramaticamente no problema do Homem do seu tempo e nos desafios da plasticidade matérica, que tratou com grande profundidade em obras repassadas da Vida-Vivida e densos registos de espiritualidade!

Artur Bual, Amadora 1996


“O pintor-poeta foi das pessoas mais crianças que conheci. Como companheiro foi óptimo. Aprendi com ele a enfrentar a vida." "Foi um belo marginal da arte. E isto é um elogio, pois é nas margens que estão sempre as coisas belas”.

Artur Bual, 1985


Macedo,
Ou a luta com um estado de frio num espaço que humaniza.
No cair, a matéria vem já carregada de sensualidade,
De raiva e de amor;
a cor é seio, o traço é beijo,
e o objecto é o signo primeiro de um monde onde,
mais do que ter braços
é preciso abraçar.

Artur Bual, Amadora 1973